Marcela Rodrigues

Marcela Rodrigues

MARCELA RODRIGUES é diretora e escritora de cinema e teatro.

É Bacharel em Cinema pela Universidade Estácio de Sá.

Em 2005, cursou direção, roteiro, câmera e edição no Centro de Audiovisual Nós do Cinema (Atual Cinema Nosso).

Cursou 10 anos de Belas Artes, se especializando em aquarela e pintura à óleo.

É uma das fundadoras da Troupp Pas D'argent, onde dirigiu, escrevou e assinou a cenografia dos espetáculos “Cidade das Donzelas(2008), “Holoclownsto(2011) escrito juntamente com Natalíe Rodrigues, “Morro da Ópera(2014), e “Lavagem(2016).

No teatro foi indicada ao Prêmio Shell RJ, ao Prêmio Europeu Compasso Di Argento na Itália (Napoli), e ganhou o Prêmio Lukas Awards na Inglaterra (Londres), já tendo vencido outros sete prêmios de melhor diretora e mais de três prêmios de melhor dramaturga em festivais e mostras de teatro pelo Brasil.

Recentemente assinou o roteiro e direção do Documentário "Mulheres Bambas", dirigido juntamente com Sandro Arieta. O Longa Metragem tem estréia prevista para 2019, E também a direção e a edição do Documentário “Projeto Identidade” (Sobre a exposição fotográfica que apresenta ícones populares (originalmente brancos) representados por pessoas negras).

Dirigiu diversos curtas metragens como “Chão” (2005), “Relatividade” (2014), "Do Sétimo Andar" (2017) juntamente com Jorge Florêncio, dirigiu oOdinconvidado para Seleção Oficial da Mostra Novos Olhares Petrobras, o filme "À Caminho" (2006) convidado para a Seleção Oficial do Festival de Cinema de Manaus / Amazônia e Festival Internacional de Cinema INDIE LISBOA / Portugal.

Em 2013, Marcela Rodrigues começou a sua jornada cinematográfica solitária, pegou a sua câmera e foi filmar e documentar acontecimentos históricos pelo mundo. Por todo o Brasil, ela filmou as manifestações políticas, e os perigosos confrontos entre civís e policiais militares. Em 2014, foi para a Tailândia (Phuket), onde filmou o cotidiano dos lutadores de Muaythai e entrevistou sobreviventos do tsunami que devastou o Oceano Índico asiático dez anos antes. Em 2017, ela foi para Alemanha (Berlim) e França (Paris) filmar os testemunhos de refugiados da Síria e do continente sul americano sobre esta crise global, e em 2019, sua câmera desembarca no continente Africano, onde mostrará os encantos naturais da ilhas, gastronomia, cultura, musicalidade e costumes do povo caboverdiano.

Marcela Rodrigues também é preparadora e diretora de atores. Desde 2008, realiza diversos trabalhos de direção de atores no cinema e no teatro, e ministra oficinas de teatro para Companhias de teatro, atores profissionais e estudantes da arte no Chile, Itália, Inglaterra e em diversas regiões do do Brasil como: Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo e Ceará.

Realizou a direção de movimento e preparação de elenco do espetáculo “BOQUINHA, E Assim Surgiu o Mundo…de Lázaro Ramos, e ganhou o prêmio de Melhor Preparadora Corporal no Prêmio CBTIJ de Teatro 2017, pelo mesmo espetáculo.

Estudou com nomes importantes do cinema brasileiro com Fernando Meireles, Katia Lund, André Horta, Evandro Teixeira, Felícia Krumholz, Lúcia Murat, Roberto Berliner e participou de intercâmbios com os professores de roteiro da New York Film Academy.

Recentemente fez a adaptação para teatro, do livro infantil "Zo o quê? O menino do nome diferente", de Katarina Monteiro.

E atualmente assina a direção do quinto espetáculo de Teatro Documentário da Troupp, em fase de pré-produção.

 

 

________________________________________ENGLISH_____________________________________________

                                                                                

Marcela Rodrigues is a director and writer of Films an theater plays.
She holds a Bachelor's degree in Cinema from Universidade Estácio de Sá.
In 2005, she studied directing, screenwriting, cinematography and editing at “Nós do Cinema” Audiovisual Center (Current “Cinema Nosso”).
She studied 10 years of Fine Arts, specializing in watercolor and oil painting.

She is one of the founders of the theater company Troupp Pas D'argent, and directed, wrote and signed the set of the shows "Cidade das Donzelas” (City of the Maidens - 2008), "Holoclownsto" (2011) written with Natalie Rodrigues, "Morro da Opera" (Shantytown Opera - 2014), and "Lavagem” (Washing - 2016).

In the theater she was nominated for the Shell RJ Award, the European Compass Award Di Argento in Italy (Napoli), and won the Lukas Awards in England (London), having won seven other awards for best director and more than three awards for best playwright in festivals in Brazil.

She recently wrote the script and directed the documentary "Mulheres Bambas”, directed together with Sandro Arieta. The the documentary is scheduled for release in 2019. She has also directed and edited the "IDENTIDADE" a Documentary that shows the backstage of the photographic exhibition that features popular white icons represented by black artists.

She directed several short films such as "Chão" (2005), "Relatividade" (2014), "Do Sétimo Andar" (2017) Directed along with Jorge Florêncio. She Directed the documentary "Odin" invited for the Official Selection Petrobras, "À Caminho" (2006) invited to the Official Selection of the Manaus / Amazônia Film Festival and INDIE LISBOA / Portugal International Film Festival.

In 2013, Marcela Rodrigues began her solitary film journey, took her camera and went to document historical events around the world. Throughout Brazil, she filmed the political demonstrations, and the dangerous confrontations between civilians and military police. In 2014 she went to Thailand, where she filmed the daily lives of Muaythai fighters and interviewed survivors of the tsunami that devastated the Asian Indian Ocean ten years earlier. In 2017, she went to Germany (Berlin) and France (Paris) to film the testimonies of refugees from Syria and the South American continent, and in 2019, her camera will lands on the African continent, where she will showcase the islands' natural charms , gastronomy, culture, musicality of the Cape Verdean people.

Marcela Rodrigues is a coach and a movement director of actors. Since 2008, she has led theater and film directing workshops for professional actors and students of art in Chile, Italy, England and Brazil.

She was movement director of the show "BOQUINHA, E Assim Surgiu o Mundo…” by Lázaro Ramos, and won the prize of Best movement director in the CBTIJ Theater Award in 2017.

She studied with important names in Brazilian cinema such as Fernando Meireles, Katia Lund, André Horta, Evandro Teixeira, Felícia Krumholz, Lúcia Murat, Roberto Berliner and participated in exchanges with the scriptwriters of the New York Film Academy.

Recently she adapted for theater, the children's book "Zo o quê? O menino do nome diferente" (Zo what? The boy of the different name), by Katarina Monteiro.

He is currently writing and directing the fifth Troupp Documentary Theater show, which is in the pre-production phase.

And she is preparing to direct, along with Jorge Florencio, the Short film of which she is also the screenwriter "Tormenta".


Pedro Henrique